Banda sonora de uma juventude vestida de negro

Peter Murphy anda a celebrar com amigos, em palco, os 40 anos dos Bauhaus, e Porto e Lisboa foram paragens nessa tour épica. Na LX Factory não cabia nem mais uma alma, num concerto onde até os mais quarentões se sentiram jovens no momento de assistir ao vivo a tais memórias sonoras jurássicas. É que esta foi a banda sonora da sua juventude vestida de negro.
 

Hozier em concerto único em Lisboa

O cantor e compositor irlandês deu o pontapé de saída da sua digressão europeia, no passado domingo, no Coliseu de Lisboa.
 

A ode de Scott Matthew no Tivoli

Por incrível que pareça, a mistura explosiva de uma noite de domingo chuvosa com melodias híper-melancólicas não deu aos presentes no Teatro Tivoli uma vontade louca de cortar os pulsos. Convidado do Misty Fest, o australiano Scott Matthew encerrou o seu ciclo de 4 espetáculos no festival com várias odes ao amor, à vida, aos entes e aos locais queridos, mas sempre com uma desarmante gargalhada de menino e muita, muita honestidade.
 

"Portuguese say it better" ao vivo

Não é de estranhar que o Coliseu dos Recreios tenha acolhido com uma plateia modesta em números aquele que foi o primeiro concerto dos Wolf Alice em nome próprio em Portugal. Afinal, ainda em julho, a banda londrina atuara no Palco Sagres do festival NOS Alive.
 

Faz uma pose que eu gosto

Jared e o irmão Shannon não esquecem que foi aqui, em Portugal, que esgotaram pela primeira vez uma arena. «Fizeram-nos acreditar que era possível realizar os nossos sonhos», confessou o vocalista dos Thirty Seconds to Mars neste regresso à Altice Arena.
 

Dar prazer a 1234 e a mais uns quantos

Feist regressou aos palcos nacionais após 7 anos de afastamento. O público ressacava pela doçura feminina e fragilidade humana desta artista canadiana que fez um esforço sublime para superar graves problemas vocais.
 

Prognósticos só no final da sauna

Num bar irlandês, quando pedimos uma Murphy's, recebemos uma cerveja densa e saborosa, é certo, mas sem grande gás. O líder dos LCD Soundsystem, James de nome próprio e que para a célebre bebida só perde o apostrofe no apelido, não sofre deste problema. Assim ficou provado no primeiro de três concertos consecutivos no mítico Coliseu dos Recreios.