Investigação portuguesa em Engenharia Automóvel distinguida em Inglaterra

  

Fotografia Dário Luís

A Universidade de Oxford Brookes reconhece trabalho de diplomado do Politécnico de Leiria. 

A Universidade de Oxford Brookes atribuiu recentemente a Dário Luís, diplomado de Engenharia Automóvel no Politécnico de Leiria, o prémio de melhor tese de mestrado de 2015/2016 no departamento de Engenharia Mecânica e Matemática Aplicada.

“Modelling of GDI Engine Combustion and Cycle by Cicle Variation” é o tema do trabalho distinguido, que engloba a simulação computacional de motores de combustão interna, nomeadamente de fenómenos aparentemente aleatórios, que ocorrem no interior da câmara de combustão, e que fazem com que a combustão seja sempre diferente de ciclo para ciclo.

«O meu trabalho consistiu em criar uma forma inovadora e muito aproximada à realidade de simular estes ciclos computacionalmente, algo que ainda não é possível fazer de modo fidedigno nos atuais programas de simulação usados na indústria automóvel», destaca Dário Luís. 

 

 

 

 

Universidade de Oxford Brookes reconhece trabalho de diplomado do Politécnico de Leiria

 

Investigação portuguesa em Engenharia Automóvel distinguida como melhor tese de mestrado em Inglaterra

 

A Universidade de Oxford Brookes atribuiu recentemente a Dário Luís, diplomado de Engenharia Automóvel no Politécnico de Leiria, o prémio de melhor tese de mestrado de 2015/2016 no departamento de Engenharia Mecânica e Matemática Aplicada. “Modelling of GDI Engine Combustion and Cycle by Cicle Variation” é o tema do trabalho distinguido, que engloba a simulação computacional de motores de combustão interna, nomeadamente de fenómenos aparentemente aleatórios, que ocorrem no interior da câmara de combustão, e que fazem com que a combustão seja sempre diferente de ciclo para ciclo.

 

«O meu trabalho consistiu em criar uma forma inovadora e muito aproximada à realidade de simular estes ciclos computacionalmente, algo que ainda não é possível fazer de modo fidedigno nos atuais programas de simulação usados na indústria automóvel», destaca Dário Luís. «Para mim é um orgulho pessoal enorme poder atingir um objetivo que francamente não pensava ser possível. O que demonstra que qualquer pessoa, independentemente da sua origem, pode atingir aquilo a que se propõe, desde que tenha dedicação e força de vontade», realça o diplomado.Universidade de Oxford Brookes reconhece trabalho de diplomado do Politécnico de Leiria

 

Investigação portuguesa em Engenharia Automóvel distinguida como melhor tese de mestrado em Inglaterra

 

A Universidade de Oxford Brookes atribuiu recentemente a Dário Luís, diplomado de Engenharia Automóvel no Politécnico de Leiria, o prémio de melhor tese de mestrado de 2015/2016 no departamento de Engenharia Mecânica e Matemática Aplicada. “Modelling of GDI Engine Combustion and Cycle by Cicle Variation” é o tema do trabalho distinguido, que engloba a simulação computacional de motores de combustão interna, nomeadamente de fenómenos aparentemente aleatórios, que ocorrem no interior da câmara de combustão, e que fazem com que a combustão seja sempre diferente de ciclo para ciclo.

 

«O meu trabalho consistiu em criar uma forma inovadora e muito aproximada à realidade de simular estes ciclos computacionalmente, algo que ainda não é possível fazer de modo fidedigno nos atuais programas de simulação usados na indústria automóvel», destaca Dário Luís. «Para mim é um orgulho pessoal enorme poder atingir um objetivo que francamente não pensava ser possível. O que demonstra que qualquer pessoa, independentemente da sua origem, pode atingir aquilo a que se propõe, desde que tenha dedicação e força de vontade», realça o diplomado.Programa Doutoral em Estudos Culturais da Universidade de Aveiro

Brasilino Godinho termina Doutoramento aos 85 anos

Tinha 77 anos quando entrou na Licenciatura em Línguas, Literaturas e Culturas da Universidade de Aveiro (UA). Concluiu o curso 4 anos depois com a média de 15 valores. Na altura prometeu que não iria ficar por aí. Amanhã, dia 5 de julho, vai cumprir a promessa. Aos 85 anos, Brasilino Godinho vai defender a tese de Doutoramento em Estudos Culturais sobre Antero Quental e tornar-se, provavelmente, num dos estudantes a concluir o doutoramento com mais idade do mundo. E volta a prometer seguir em frente: “Quero fazer um pós-doutoramento”.

 

Aos 15 anos já tinha lido autores como Platão, Aristóteles, Pascal, Descartes, Kant, Tomás de Aquino ou Bertrand Russel. Aos 16 queria ir para a universidade estudar engenharia, mas o avô não lhe quis pagar as propinas e o sonho ficou adiado por largas décadas. “Ainda bem que assim aconteceu, caso contrário não seria o homem que sou hoje”, exclama Brasilino Godinho.

 

Natural de Tomar, onde nasceu a 25 de outubro de 1931, foi nessa cidade que tirou o Curso Industrial de Serralharia Mecânica. Iniciou a vida profissional como desenhador de construção civil e onze anos depois passou a exercer a profissão de topógrafo e a projectar na área de engenharia rodoviária, tendo desenvolvido a actividade por diversas localidades do país.

 

Foi no ano de 2008 que a Brasilino Godinho se lhe proporcionaram condições para se candidatar ao ingresso na Universidade. Então, com 77 anos e através do concurso para Maiores de 23 anos, candidatou-se tendo obtido a classificação de 17 valores. O gosto antigo pela escrita (é autor de três livros e tem sido cronista em vários jornais) e pela leitura foram determinantes na opção pelo Curso de Licenciatura em Línguas, Literaturas e Culturas. Em dezembro de 2012 concluiu a formação com a média de 15 valores.

 

Ir cada vez mais além

O mérito permitiu-lhe avançar para o sonho seguinte: inscrever-se no Programa Doutoral em Estudos Culturais desenvolvido em parceria pelas Universidades de Aveiro e do Minho. Um sonho que amanhã se antevê preenchido com a defesa da tese "Antero de Quental: um Patriotismo Prospectivo no Porvir de Portugal” e que Brasilino Godinho quer que seja de “exaltação da pessoa e obra de Antero de Quental, insigne poeta, extraordinário pensador, grande patriota e figura maior da História de Portugal”.

 

Depois será tempo de continuar a avançar. Propõe-se fazer um pós-doutoramento, leccionar Cultura Portuguesa e Cultura Espanhola Contemporânea, retomar a atividade de cronista, editar as suas “Crónicas Irreverentes”, reeditar o seu livro “A Quinta Lusitana” e publicar uma obra que mantém em “prudente reserva”. Quer ainda trabalhar numa instituição de Ensino ou exercer gerência de uma empresa que atue nas áreas de serviços, de urbanismo e de construção civil.

 

“Aqui fica enunciado um conjunto de hipóteses concernentes a actividades que hão-de

ser convenientemente articuladas e organizadas, com recurso ao capital acumulado de

experiências profissionais e de conhecimentos académicos; o qual foi adquirido e

cimentado ao longo de uma existência que conta quase 86 anos de vida”, afirma Brasilino Godinho. Desejos que ousa dizer “preenchidos com sistemático ardor juvenil”.